22 de mai de 2012

CINCO MOTIVOS DA GREVE DOS DOCENTES DAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO- 2012


  1. Não cumprimento pelo governo de parte do acordo da campanha salarial de 2011;
  2. Reajuste que garanta o valor real de salários com reconhecimento de data-base anual em 1° de maio para reajuste;
  3. Abertura de concurso para professores efetivos pelo regime jurídico único;
  4. Valorização e melhoria das condições de trabalho que afetam diretamente a qualidade do ensino, pesquisa e extensão;
        *Faltam salas para os professores, grupos de pesquisa e atividades de extensão, laboratórios, salas de estudo, convivência, etc;
         * Biblioteca desatualizada e com falta de livros;
         * Obras inacabadas, prédios recém construídos com rachaduras e antigos sem manutenção;
       * Existem instituições sem refeitório ou restaurantes universitários, moradia universitária, bebedouros e papel higiênico;
       5. Corte no orçamento da educação e serviço público.


JUNTE-SE NA LUTA EM DEFESA DA UNIVERSIDADE PÚBLICA, LAICA, GRATUITA E DE QUALIDADE!!!!

mais informações: www.aduferpe.org.br
Reuniões do comando local de greve (CLG) UFRPE todas as manhãs 9h na ADUFERPE.

18 de mai de 2012

AULA NA GREVE ?

Como esclarecimento viemos elucidar que está é uma greve oficial, as atividades estão paradas, os professores não tem obrigação de dar aula e os estudantes não tem obrigação de assisti-las o mesmo acontece em relação as provas
Toda a carga horária suspensa devido a greve será reposta após a greve, sem maiores danos pedagógicos aos estudantes. Professores substitutos, temporário e em período probatório tem direito garantido por lei de adesão a greve, não podendo a instituição prejudica-los de qualquer forma.

ATO PÚBLICO DA GREVE

Dia 22/05, próxima terça-feira, haverá um ato público da greve. A concentração será as 9 horas da manhã em frente ao CEGOE. 
Os estudantes e os professores estão juntos nessa luta, por isso é importante a mobilização estudantil por esta causa, pois as reivindicações não são apenas de reajuste salarial mas também incluem melhorias nas condições de trabalho e também estão sendo incluídas outras pautas do movimento estudantil.
O estudante tem que lutar por uma UNIVERSIDADE PÚBLICA, GRATUITA E DE QUALIDADE, então não podemos aceitar a situação precária que as universidades públicas se encontram. 
Quanto mais estudantes participarem das atividades da greve, mais respaldo terá na imprensa e no governo e desta forma atingiremos nossos objetivos mais rapidamente e a greve logo terá um fim. 
  VAMOS À LUTA!
QUEM NÃO SE MOVIMENTA NÃO SENTE AS CORRENTE QUE O PRENDEM
                                                                                                                      (Rosa Luxemburgo)

Aceitação não é o caminho para mudança!

Informes da GREVE II

Reunião do comando local de greve (18/05/2012)

41 universidades já estão em greve;
Técnicos estão em plenária nacional hoje (18/05) e amanhã (19/05) onde existe grande possibilidade de sair o indicativo de greve ainda para o mês de MAIO;
Foi instalado o regimento do Comando Nacional de Greve (Brasília);
Após isso, as comissões se reuniram separadamente.

Informes da GREVE

Reunião para instituir comando local de greve (17/05/2012 Manhã).

O comando local de greve tem como função organizar todas atividades relacionadas a greve na instituição.
As reuniões do comando local estão ocorrendo diariamente às 9h da manhã na ADUFERPE.

Na primeira reunião (17/05) foram criadas quatro comissões: divulgação e impressa; mobilização; finanças e infraestrutura;  formação política e debate. 
A greve é oficial, reconhecida pelo governo federal e a REItoria da UFRPE declarou não intervir contrariamente à GREVE, incluindo a não liberação de diárias para aulas práticas durante o período da greve. 
Também foram tirados os nomes dos delgados que irão compor o comando nacional de greve em Brasília.
O comando local de greve irá construir uma pauta conjunta com os três segmentos da universidade (estudantes, técnicos e os profesores).
O ANDES-SN declarou a greve desde 17/05 e 32 universidades já haviam aderido a greve, a UNIVASF está em greve desde 12/05 e realizarão passeata em conjunto com os estudantes.
A UFRJ está em greve estudantil.
Será realizado ato público em prol da greve no dia 23/05 quarta-feira na Unidade Acadêmica de Serra Talhada UAST.

Pela tarde houve a reunião da comissão de mobilização, e foi encaminhado

Passar em sala nos departamentos que não aderiram a greve (Florestal, Zootecnia, Biologia e CODAI);
Ficou-se de fazer panfletagem e passada no CEGOE, CEAGRI I e II a noite;
Foi criado um e-mail do comando local, para mais informações comandolocaldegreveufrpe@gmail.com;

15 de mai de 2012

O QUE O ESTUDANTE TEM A VER COM A GREVE DOS PROFESSORES?...


ESTUDANTES: A GREVE TAMBÉM É NOSSA!!!


                Historicamente a educação pública vem passando por um processo de sucateamento, aprofundando-se desde Collor ao governo Dilma, transferindo suas responsabilidades, cada vez, mais para a iniciativa privada.
                Com a aprovação do REUNI (Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais) em 2007, ocorreu um processo de expansão e crescimento, das universidades, sem qualidade.
                O reflexo disso na UFRPE é o aumento da precarização desde o ensino à estrutura física.          Se no campus do Recife a situação não é a das melhores, nas unidades acadêmicas de Garanhuns (UAG) e Serra Talhada (UAST) é ainda pior.
                A interiorização das universidades é importante, pois amplia o acesso ao ensino público superior.  Porém esse processo está sendo desordenado, a exemplo UAG e UAST. Falta restaurantes universitários, biblioteca, casa do estudante, laboratórios E O PIOR... PROFESSORES E PROFESSORAS!
                Na sede encontramos: Restaurante Universitário privatizado que serve parafuso, caramujo, cabelo, pedra, dentre outras iguarias, obras inacabadas, prédios recém construídos com rachaduras, biblioteca desatualizada e com falta de livros, condições precárias de ensino E TAMBÉM FALTA PROFESSORES E PROFESSORAS!
                Somado a resolução dessas problemáticas na universidade os professores e professoras reivindicam:
                    mudança de plano de cargo e carreira;
                    equiparação salarial com os doutores do Ministério da Ciência e Tecnologia;
                    reajuste salarial digno;
                    valorização e melhoria das condições dignas de trabalho, dentre outros.
                Dessa forma o ensino e aprendizagem está comprometido E ISSO DIZ RESPEITO SIM, A TODA COMUNIDADE ACADÊMICA!
                 É por essas e outras que nós, do Movimento Estudantil da UFRPE, demonstramos não só o nosso apoio e solidariedade a essa luta, que é legítima, como convidamos todos e todas estudantes para unir força por uma UNIVERSIDADE PÚBLICA, GRATUITA E DE QUALIDADE!

GREVE NÃO É FÉRIAS, É LUTA!

Greve: paralisação de atividades, coletiva e voluntária, em prol de se conseguir o atendimento de reivindicações, que está está assegurada por lei, Constituição Federal Brasileira de 1988:
Art. 9º É assegurado o direito de greve, competindo aos[as] trabalhadores[as] decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender.

Constroem essa carta:
Diretórios Acadêmicos de Agronomia, Bacharelado em Ciências Biológicas, Economia Doméstica, Engenharia Agrícola e Ambiental, Engenharia Florestal, Licenciatura em Ciências Biológicas, Medicina Veterinária, Diretório Central dos Estudantes (Odijas de Carvalho), Coletivo Resistir e Resistir, Coletivo Daqui pra Frente Vai ser Diferente, Revocultura, ANEL (Assembléia Nacional dos Estudantes Livre), União Nacional dos Estudantes (UNE), União da Juventude Rebelião (UJR), União da Juventude Comunista (UJC).