30 de set de 2012

DEBATE 03/10/2012 - ELEIÇÕES NO DMV

Na próxima quarta-feira, 03/10, às 14h ocorrerá no auditório Luis de Melo Amorim o segundo debate das chapas que estão concorrendo à eleição para Diretoria do Departamento de Medicina Veterinária - UFRPE (DMV-UFRPE). 
É de extrema importância o engajamento dos estudantes no processo, comparecendo ao debate, levando seus questionamentos e refletindo sobre qual chapa tem o melhor projeto para o DMV.
Então galera, vamos tod@s ao debate !



Obs. Para os que ainda não sabem, estão concorrendo a direção do DMV duas chapas:
Chapa UNIÃO E TRABALHO- Professor Lúcio Esmeraldo (Diretor)
                                                   Professora Rita Maia (Substituta Eventual)

Chapa A LUTA HUMANIZA - Professor Aderaldo Alexandrino (Diretor)
                                                  Professora Rozélia Bezerra (Substituta Eventual)



Dia 3 de outubro - DIA NACIONAL DE LUTA CONTRA A PRIVATIZAÇÃO DOS HU'S

Fica o convite a todxs para o grande ato que será realizado em todo o país, aqui em Recife terá concentração no Hospital das Clínicas. 
Contamos com todxs! 
SAÚDE NÃO É MERCADORIA!

24 de set de 2012

Biblioteca do DAMV

Durante o período de greve, além de cumprir com as atividades que a mesma demandava, aproveitamos para reorganizar o Diretório, assim cadastramos todos os livros do DAMV, facilitando  o empréstimo dos mesmos a comunidade acadêmica.
Então galera, precisa pesquisar, ler, estudar, sinta-se a vontade a passar no DA e ver se podemos ajudar.

Obs. Aproveitamos para solicitar doações de livros (não só referente a medicina veterinária) para ampliar o acervo e compartilhar a leitura com tod@s!



Abraços!

17 de set de 2012

Nota Informativa - Final da GREVE - UFRPE


Recife, 17 de Setembro de 2012

Nota Informativa

            Após 120 dias de greve, o comando nacional de greve docente indica a suspensão unificada da mesma para o período de 17 a 21 de setembro de 2012. Tal decisão foi acatada pelos docentes em assembleia geral realizada nesta segunda-feira (17/09/12), encaminhando a suspensão da greve para este mesmo dia e com indicativo de retorno às aulas no dia 24/09/12, próxima segunda-feira.
            O Diretório Acadêmico de Medicina Veterinária da UFRPE, participou ativamente do movimento grevista durante esses quatro meses, fato este que muniu a entidade de conhecimento suficiente para analisar a greve. Acreditamos na greve como uma ferramenta necessária quando temos um governo que não é aberto a negociações e tem um projeto de precarização dos direitos sociais.
            Apesar do que muitos pensam, o movimento obteve vitórias. Vitórias políticas, como o fortalecimento do sindicato nacional docente (ANDES-SN), elaboração de pautas locais da UFRPE, onde se pode discutir os problemas gerais da universidade, tendo a participação de professores de todas as unidades, estímulo ao debate com participação dos docentes, estudantes, técnicos administrativos, outros movimentos sociais (como o MST) e da sociedade civil, desmascaramento do atual governo que mostrou sua face autoritária durante esse período de greve, criando dificuldades para negociar e com manobras políticas que tentaram fazer com que os trabalhadores abrissem mão do seu direito de greve (corte de ponto, usar mídia contra movimento, negociação separadamente com cada categoria não tratando o movimento como único, tentando assim enfraquecê-lo), o que é lamentável, pois esse mesmo governo foi eleito majoritariamente pela classe trabalhadora, a qual depositou suas esperanças nele.
Também foi provado que a luta não se resumiu a questões salariais, pois quando muitos diziam que os docentes sairiam da greve com a proposta do governo de reajuste salarial, eles se mantiveram firmes, rejeitando a proposta e exigindo reestruturação da carreira e melhores condições de trabalho.
O que mais se escutou na última assembleia dos docentes (17/09/12), foi que a greve não acabou, esta suspensa e que a LUTA CONTINUA, pois uma guerra é feita de muitas batalhas.
Os integrantes ativos do DAMV- UFRPE, hoje têm a consciência de tamanho aprendizado que se adquiriu com a participação na greve, conhecimento este muito maior do que o obtido em salas de aula.


    DIRETÓRIO ACADÊMICO DE MEDICINA VETERINÁRIA  

11 de set de 2012

E a GREVE ? CONTINUA


Na última assembléia, ocorrida hoje 11/09/2012, ficou decidida a permanência da UFRPE na greve, com saída unificada, ou seja, o comando nacional de greve vai sugerir uma data para saída de todas as universidades conjuntamente.
Por enquanto o movimento segue pressionando o governo, exigindo melhorias nas condições de trabalho e no plano de carreira docente.
A próxima assembléia será segunda-feira 17/09.

5 de set de 2012

Fim da greve na UFPE


Assembleia decide fim da greve

O auditório do Centro de Tecnologia e Geociências (CTG) recebeu hoje, (5) 432 professores para decidir os rumos da greve que completou 112 dias, em assembleia realizada pela ADUFEPE. Os professores da UFPE decidiram pelo fim da greve iniciada em 17 de maio, com indicativo de saída para o dia 17 de setembro.
No item saída de greve foram 241 votos favoráveis, 134 contrários e 8 abstenções. Para o item indicativo de fim de greve, 128 docentes votaram pelo dia 10 de setembro e 149 pelo dia 17, com 20 abstenções.


A Federal decidiu sair da greve. Depois de 112 dias de greve, de luta, a Federal saiu da greve. O D.A.M.V. não estava presente na assembleia, então não sabemos ainda como se deram as discussões, mas é uma pena que depois de tanto tempo segurando a bandeira de melhoria na Educação Pública, a assembleia tenha decidido por sair da greve sem nenhuma vitória.

3 de set de 2012

Adão in memoriam

Viemos aqui para comunicar o falecimento de Adão, e prestar uma homenagem a este cão que, por pelo menos 4 anos, compôs o cenário da UFRPE, sendo conhecido por todos e amigo de muitos. Ele provavelmente morreu do domingo (02/09) para segunda (03/09), ainda não se sabe a causa da morte.
É um personagem da UFRPE que fará muita falta. Quantas vezes passamos por ele e, cumprimentando-o: "Adão...", ele respondia com um olhar, meio que cumprimentando de volta?!....
Adão vem também ressaltar a questão do abandono de animais na UFRPE, que é tão grave e que acaba por causar sofrimento ao animal e aos que acompanham a trajetória degradante do mesmo na Universidade.


Saudades ficarão. 

1 de set de 2012

Nota pública - por um debate franco e honesto sobre o aborto!



Nota Pública - Por um debate franco e honesto sobre o aborto!
Por uma solução que proteja e garanta a vida das mulheres!

O Fórum de Mulheres de Pernambuco vem a público repudiar a forma como parcela do poder médico e do poder constituído vem tratando a questão do aborto no nosso país, repudiar à forma como candidaturas usam este problema para promover-se entre o eleitorado.
É fato que muitas mulheres precisam recorrer ao aborto em algum momento de sua vida. Às vezes são crianças, adolescentes ou jovens que foram abusadas, violentadas e engravidaram sem desejar. Às vezes são mulheres em risco de eclâmpsia ou com gravidez de alto risco. Outras vezes, são mulheres jovens, mas já adultas, com filhos, que engravidaram por falha na contracepção ou porque maridos e parceiros se negaram a usar camisinha. Neste caso, elas precisam abortar porque não tem como aumentar sua família naquele momento. Nestes e em todos casos, nós mulheres somos privadas do direito à informação sobre as possibilidades de aborto legal. Negam nosso acesso as informações de saúde pública para um aborto seguro. Muitas são levadas à morte, por falta de informação segura. Outras são maltratadas nos hospitais e denunciadas pelos médicos, que agindo assim cometem um crime contra seu código de ética. Às vezes a polícia as prende. E juízes as condenam. O aborto clandestino é causa de muito sofrimento, adoecimento e até de morte entre nós mulheres. Mas políticos oportunistas se valem da condenação ao aborto para passar a imagem de que são íntegros, quando muitas vezes são corruptos ou atuam em associação a políticos ficha suja. No Congresso Nacional, este ano, políticos da bancada religiosas se associaram aos milionários industriais para vetar o imposto sobre fortuna que iria financiar o Sistema Único de Saúde/SUS. Para nós, quem vota contra mais dinheiro para o SUS não defende a vida de ninguém.
Nas campanhas eleitorais o aborto torna-se peça de propaganda quando, para nós mulheres, é um problema grave em nossas vidas. Queríamos nunca precisar recorrer a um aborto. Mas para isso precisamos de mais informação sobre como usar os métodos seguros para evitar filhos, além de tê-los acessíveis todo o tempo nos serviços de atenção básica. Nos casos de estupro, é preciso pílula do dia seguinte, para evitar que a gravidez se instale, e assim evitar um aborto. Nos casos de risco de morte, de saúde física e mental, é preciso aborto legal para que a gestação seja interrompida logo nas primeiras semanas, evitando gravidez forçada, abortos tardios ou nascimento e abandono de bebês.
Denunciamos a contínua imposição da obrigação das mulheres manterem um gravidez indesejada e forçada. Isso é indigno, violento, além de uma ameaça à saúde e à vida de todas nós mulheres.
Nos solidarizamos com as mulheres que precisam recorrer a um aborto. E repudiamos todos e todas que as condenam. Nenhuma mulher está livre de um dia precisar abortar.
Exigimos um debate responsável, com informações verdadeiras e sem condenação moral, para que se possa verdadeiramente compreender o que se passa com as mulheres, suas famílias e filhos, o significado da dor e do sofrimento para uma mulher que se vê obrigada a manter uma gravidez forçada por negação de seus direitos, da incompreensão de sua situação, além julgamento e condenação levianas.
Nenhuma fé pode justificar tal condenação. O respeito à dignidade das mulheres é um dever de todos e todas que pretendem ser representantes do povo.

Recife, 28 de agosto de 2012.