28 de out de 2011

Sinopse dos Filmes

SINOPSE DOS FILMES

Homens de Honra : Carl Brashear (Cuba Gooding Jr.) veio de uma humilde família negra, que vivia em uma área rural em Sonora, Kentucky. Ainda garoto, no início dos anos 40, já adorava mergulhar, sendo que quando jovem se alistou na Marinha esperando se tornar
um mergulh
ador. Inicialmente Carl trabalha como cozinheiro que era uma das poucas tarefas permitidas a um negro na época. Quando resolve mergulhar no mar em uma sexta-feira acaba sendo preso, pois os negros só podiam nadar na terça-feira, mas sua rapidez ao nadar é vista por todos e assim se torna um "nadador de resgate", por iniciativa do capitão Pullman (Powers Boothe). Quando Brashear solicita a escola de mergulhadores encontra o comandante Billy Sunday (Robert De Niro), um instrutor de mergulho áspero e tirânico que tem absoluto poder sobre suas decisões. No princípio Sunday faz muito pouco para encorajar as ambições de Brashear e o aspirante a mergulhador descobre que o racismo no exército é um fato quando os outros aspirantes brancos - exceto Snowhill (Michael Rapaport), que por isto foi perseguido por Sunday - se negam a compartilhar um alojamento com um negro. Mas a coragem e determinação de Brashear impressionam Sunday e os dois se tornam amigos quando Brashear tem de lutar contra o preconceito e a burocracia militar, que quer acabar com seus sonhos de se tornar comandante e reformá-lo.


O espanta tubarões : Oscar é um peixe que trabalha num lava-jato para baleias, tendo uma vida pacata e comum até então. O que ele almeja, na verdade, é uma vida no topo do recife, onde poderá ter um grande e luxuoso apartamento, além de fama e reconhecimento. Sua vida muda completamente quando ele é atacado por um
tubarão. Uma âncora cai em ci
ma do pr
edador, matando-o e deixando Oscar com uma fama de matador de tubarões. Quando um novo tubarão aparece na cidade, Oscar percebe que ele não é carnívoro e, em conjunto, tornam-se grandes amigos em uma farsa que pretende manter os outros predadores bem longe do local.











A Onda : Rainer Wegner, professor de ensino médio, deve ensinar seus alunos sobre autocracia. Devido ao desin
teresse deles, propõe um experimento que explique na prática os mecanismos do fascismo e do poder. Wegner se denomina o líder daquele grupo, escolhe o lema “força pela disciplina” e dá ao movimento o nome de A Onda. Em pouco tempo, os alunos começam a propagar o poder da unidade e ameaçar os outros. Quando o jogo fica sério, Wegner decide interrompê-lo. Mas é tarde demais, e A Onda já saiu de seu controle. Baseado em uma história real ocorrida na Califórnia em 1967.



Pequena Miss sunshine : Nenhum membro da família é exatamente equilibrado, mas não é por falta de tentativas. Richard (GREG KINNEAR), o pai, é um palestrante motivacional e otimista incorrigível que tenta desesperadamente vender seu programa de nove etapas para o sucesso – sem muito sucesso. Enquanto isso, a mãe dos Hoover, “a favor da franqueza”, Sheryl (TONI COLLETTE), é assombrada constantemente pelos segredos excêntricos da família, principalmente os de seu irmão Frank (STEVE CARELL), um acadêmico com tendências suicidas especializado em Proust, que acaba de sair do hospital depois de levar um fora do namorado. Em seguida, temos os membros mais jovens da família com seus sonhos improváveis: a menina de óculos, ligeiramente rechonchuda, de sete anos, candidata a rainha da beleza, Olive (ABIGAIL BRESLIN), e Dwayne (PAUL DANO), o adolescente movido a raiva, leitor de Nietzsche, com um firme voto de silêncio que pretende manter até entrar na Academia da Força Aérea. Completa a família o avô (ALAN ARKIN), um desbocado hedonista recentemente expulso de sua casa de repouso por consumo de heroína. Eles podem não ser o retrato da saúde mental perfeita, mas quando por um engano Olive acaba recebendo um convite para participar do concurso extremamente competitivo “Pequena Miss Sunshine”, na Califórnia, toda a família a acompanha. Eles se amontoam em sua Kombi enferrujada e iniciam uma jornada tragicômica de três dias, repleta de surpresas alucinadas que levam à grande estréia de Olive, que mudará toda essa família desajustada de maneiras que ela jamais poderia imaginar.

25 de out de 2011

Classe dominante impõe apartheid na educação do país

Professor afirma que a segregação educacional no Brasil continua sendo a marca do nosso tempoConselheiro da Associação dos Docentes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Adufrj) Seção Sindical do ANDES-SN e um dos coordenadores do Fórum em Defesa da Escola Pública (Fedep) do Rio de Janeiro, o professor Roberto Leher classificou o lançamento estadual da campanha "10% do PIB para a Educação Pública, Já!" como o início de uma mobilização mais forte e mais quente em torno do plebiscito para os 10% do Produto Interno Bruto (PIB) exclusivamente para a escola pública e inserido em uma jornada de luta que, hoje, ultrapassa a fronteira brasileira. A fala de Leher aconteceu durante evento realizado no centro do Rio, na última quinta-feira (20)."Vimos recentemente, no Chile, também a convocação de um plebiscito popular onde milhares de pessoas manifestaram seu apoio à causa da educação pública popular. No Brasil, nós também estamos diante de um desafio de enfrentar um apartheid educacional que os setores dominantes impõem ao povo brasileiro de maneira secular. Desde que o Brasil foi formado enquanto nação, o direito do povo, sobretudo dos trabalhadores explorados e expropriados foi negado”, afirmou. “Não é de se espantar que hoje, da juventude que deveria estar cursando o ensino médio, apenas metade está. O que demonstra de maneira muito forte que a segregação educacional segue sendo a marca do nosso tempo”, completou Leher.O docente também atacou as atuais políticas educacionais. “Tão grave quanto temos a caracterização de que boa parte das estratégias educacionais que estão sendo encaminhadas hoje pelos governos federal, estaduais e municipais, é uma política educacional de segregação educacional também, uma especialização de educação para os pobres. Curta e minimalista, tal como no século XVIII”, disse.Faltam verbas Atualmente, segundo o professor, o Brasil investe pouco do seu PIB na educação de 56 milhões de crianças e jovens: “Obviamente esse valor não permite uma educação de qualidade. Não é casual que tivemos diversas greves esse ano exigindo um medíocre piso salarial, que hoje está em torno de R$ 1,2 mil. A União este ano destinou 45 % dos seus tributos para o pagamento da dívida, mas para a educação só destinou 2,9 %, o que comprova a política de negação do direito à educação para a juventude e trabalhadores brasileiros. Estamos todos de parabéns por estarmos aqui nessa luta. Temos que fazer que nem no Chile, vamos transformar a luta pela educação pública, numa luta que tenha o calor das batalhas na ruas”, conclamou. O coordenador do Fórum também informou sobre o plebiscito que deverá ser organizado pela campanha, em novembro (uma reunião da Comissão Executiva Nacional da iniciativa, no Rio, neste dia 24, define a questão). “O plebiscito deve ser um momento para nossa auto-educação, para que conheçamos melhor o que vem a ser o drama educacional brasileiro, para que no final do ano estejamos na rua e possamos estar protagonizando fortes lutas populares em torno da educação pública. Nas universidades, nos sindicatos, nas ocupações, temos um arco de forças muito valoroso que vai cumprir a tarefa de realizar esse grande plebiscito”, completou.
Edição: ANDES-SN
Foto: Adufrj-SSind/Clarice Castro




__________________________________________________________________

Então pessoas, a conjuntura que ta posta para nós é essa. E você, vai ficar parad@?
Venha discutir os rumos da educação e levar suas reflexões no COLÓQUIO QUE TEREMOS AMANHÃ SOBRE O ENSINO DA VETERINÁRIA.

No post abaixo segue o cartaz.

At., DAVET UFRPE

INFORMES DO D.A. VET. UFRPE.

Segue os informes de hoje:

UFRPE- Núcleo de Agroecologia e Campesinato da UFRPE seleciona bolsista (http://www.ufrpe.br/noticia_ver.php?idConteudo=10017)-
Inscrições para seleção em Licenciatura em Ciências Agrícolas seguem até 27 de outubrohttp://www.ufrpe.br/noticia_ver.php?idConteudo=9974
-DMFA divulga resultado da seleção de monitoria de Bioquímica e Biofísicahttp://www.ufrpe.br/noticia_ver.php?idConteudo=10024
- Inscrições para cursos técnicos a distância do Codai/UFRPE vão até 9/11http://www.ufrpe.br/noticia_ver.php?idConteudo=10005
- Salão Nobre abriga I Congresso de Pequenos Animais entre os dias 24 e 27/10http://www.ufrpe.br/noticia_ver.php?idConteudo=9883
- APUFRPE e ADUFERPE promovem festa pelos dias do professor e do servidor públicohttp://www.ufrpe.br/noticia_ver.php?idConteudo=10019

Resultados da Eleição do DCE (Diretório Central dos Estudantes)

20 de out de 2011

Colóquio

Pessoal, quarta-feira 26/10/11 estaremos realizando em parceria com oLaboratório De Humanidades Ufrpe o colóquio de Medicina Veterinária. Discutiremos nele um texto bem interessante sobre estudantes de Medicina Veterinária serem mais deprimidos que os de outros cursos. Contamos com a presença de todos, para que possamos realizar um excelente debate.

Abraços

8 de out de 2011

Eleições DCE (odijas de carvalho)


A grande parte de nossas atitudes são provenientes de experiências pela qual passamos (vivenciando o fato, estudando-o ou mesmo tirando proveito de experiências passadas por outros e que nós tomamos como lição), assim conhecer o passado faz-se necessário, pois a partir dele podemos construir um presente justo. Como as eleições para o DCE ocorrem dia 20, venho aqui colocar este texto sobre Odijas Carvalho de Souza, o qual merecidamente dá nome ao DCE. A luta dele é descrita abaixo, onde o mesmo deu a vida (LITERALMENTE) lutando por uma sociedade menos opressora. Então galera, quando for votar pense que o movimento estudantil é coisa séria, analisem o atual cenário político da Universidade, vejam o que o atual DCE fez por nós e decidam se a UFRPE merece uma mudança ou estamos fadados a ficar nessa estagnação política.

"Que sejamos iguais ao Odijas, dediquemos nossa vida ao bem maior de construir uma sociedade mais justa e igualitária, sempre lutando e sendo fiel a libertação do povo até as últimas conseqüências, sem desvios. Odijas Carvalho de Souza Vive!" Tirei esse texto, inclusive esse trechinho do blog do DCE, mas sinceramente o DCE se espelha realmente em Odjias????

Nascido em Alagoas, no ano de 1945, o estudante de agronomia da Universidade Federal Rural de Pernambuco, Odijas Carvalho de Souza combateu contra a ditadura militar através do movimento estudantil na nossa universidade. Militante do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCBR), foi preso na Praia de Maria Farinha, no município de Paulista, em Pernambuco, no dia 30 de janeiro de 1971, juntamente com Lélia Guedes. Os policiais responsáveis por sua prisão são: Edmundo de Brito, Fausto Venâncio da Silva Filho, Ivaldo Nicodemus Vieira e Severino Pereira da Silva, todos do DOPS/PE. Odijas bravamente resistiu às seções de tortura e muito convicto do seu objetivo, acabar com a ditadura militar, não entregou uma informação sequer aos agentes da repressão. Após esse período, foi levado às pressas para o Hospital da Polícia Militar de Pernambuco no dia 6 de fevereiro de 1971, morrendo dois dias depois em conseqüência das torturas sofridas. Uma semana inteira de seções de tortura não foram capazes de romper com a firmeza desse jovem estudante que sonhava com um mundo sem opressões e injustiças. O assassinato foi denunciado a partir de testemunhos em depoimentos prestados na Auditoria de Guerra da 7ª Região Militar, por vários presos políticos, inclusive sua viúva, Maria Ivone de Souza Loureiro. O preso político Mário Miranda, uma das testemunhas oculares do assassinato, denunciou as torturas que culminaram com a morte de Odijas e também seus assassinos: delegado José Silvestre, do DOPS/PE, os agentes Ivanildo Nemésio e Miranda e o delegado Carlos Brito.O atestado de óbito, fornecido pelo IML/PE, foi assinado por Dr. Ednaldo Paz de Vasconcelos e tinha como causa-mortis embolia pulmonar. Mas na realidade, Odijas apresentava várias fraturas de ossos, ruptura de rins, baço e fígado. Foi enterrado no Cemitério de Santo Amaro, em Recife, sob o nome de Osias de Carvalho Souza, e não Odijas, o que dificultou a localização de seu corpo.

Líder Estudantil, combatente revolucionário, fiel a causa do Socialismo Odijas Carvalho de Souza deve ser Homenageado e relembrado como um dos Heróis do Movimento estudantil brasileiro, por sua bravura e resistência. O Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal Rural de Pernambuco da reconhecendo seu valor o homenageou como patrono, assim como Honestino Guimarães na UNB, Umberto Câmara Neto na UFPE, dentre tantos outros heróis do Movimento estudantil. Relembramos seu nome para fortalecermos em nossas lutas e para que não se repita jamais as atrocidades trazidas pelo golpe de 1964. O bem mais precioso que possuía, a vida, foi doado, sem nenhum temor pela causa maior da libertação da nação brasileira. Que sejamos iguais ao Odijas, dediquemos nossa vida ao bem maior de construir uma sociedade mais justa e igualitária, sempre lutando e sendo fiel a libertação do povo até as últimas conseqüências, sem desvios. Odijas Carvalho de Souza Vive! (texto retirado do blog do DCE)



6 de out de 2011

Sociedade dos Poetas Mortos TRAILER

No escurinho do D.A.


Galera, dia 19/10, pela manhã e pela tarde estará ocorrendo o "No escurinho do D.A.", vamos assistir ao filme "A sociedade dos poetas mortos " e depois conversaremos sobre o filme.

Contamos com a presença de todos!